Sanepar inicia implantação da ISO 14001 em Londrina

Norma de gestão ambiental será aplicada nos processos de produção de água e de esgoto na cidade

Com o plantio de 30 mudas de espécies nativas às margens do Córrego Água Fresca, na quarta-feira (21), no Dia da Árvore, a Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) marcou o início da implantação da norma ISO 14001 (Gestão Ambiental) em seus processos de produção de água e de esgoto em Londrina. As mudas simbolizam o contrato de programa estabelecido entre a Sanepar e a Prefeitura de Londrina para a prestação de serviços de saneamento na cidade nos próximos 30 anos.

O plantio foi feito por gerentes e empregados. O Córrego Água Fresca foi o primeiro manancial de abastecimento público na cidade, na década de 1930. Ele fica nos fundos da Estação de Tratamento de Água (ETA) Cafezal, na região central da cidade.

GESTÃO AMBIENTAL - Para a implantação da ISO 14001, parte da equipe iniciou treinamento de leitura e interpretação da norma. A ISO 14001 vai complementar o processo de busca por excelência desenvolvido pela Sanepar, que já obteve as certificações ISO 9001 (processo operacional) e ISO 31000 (gestão de riscos ambientais). “Com mais esta norma, vamos atender as metas estabelecidas neste novo contrato com a prefeitura, que prevê a melhoria constante dos processos operacionais e ambientais”, afirma o gerente geral da Sanepar na Região Nordeste, Sérgio Bahls.
 
A meta é implantar a norma até 2018, quando os processos industriais passarão por certificação interna. A ISO 14001 é uma ferramenta de melhoria de processo que tem como foco a legislação ambiental. Embora a empresa já aplique a legislação, a norma garante que esses conhecimentos sejam disseminados para todos os empregados da área operacional e que sejam elaborados procedimentos para todas as atividades de cada processo. “O técnico que trabalha no gradeamento de uma estação de esgoto, por exemplo, passa a saber os aspectos ambientais de toda a sua atividade”, explica a gerente da Unidade de Gestão Ambiental da Sanepar, Solange Serpe.

O gerente Sérgio Bahls destaca que, com o sistema de gestão ambiental, além do atendimento à legislação e da disseminação dessas informações, serão criadas ferramentas de medição e controle, que possibilitam a minimização ou mesmo a supressão de impactos ambientais resultantes das atividades de saneamento.