Notícias

Abastecimento da Grande Curitiba exigirá R$ 547 milhões em obras

12/03/2014

Plano Diretor da Sanepar aponta que mais de 4 milhões de pessoas estarão vivendo na região em 2040

Um amplo estudo contratado pela Companhia de Saneamento do Paraná - Sanepar - mostra como a Companhia pretende enfrentar o desafio de produzir e distribuir água tratada para as mais de 4,1 milhões de pessoas que deverão estar vivendo em Curitiba e Região Metropolitana no ano de 2040. As projeções, alternativas e o custo previsto são apresentados no Plano Diretor do Sistema de Abastecimento de Água Integrado de Curitiba e Região Metropolitana - SAIC, que já está norteando o planejamento estratégico da empresa para a Região Metropolitana de Curitiba.

Até 2040, a produção de água tratada deverá saltar dos atuais 10,5 mil litros por segundo (l/s) para 13.765 l/s, um crescimento de mais de 31%. "Cumprindo a orientação do Governo do Estado, a Sanepar tem procurado antecipar-se a futuras demandas, projetando o crescimento populacional e econômico dos municípios, para garantir a distribuição de água tratada de qualidade para todos os paranaenses. Isso significa desenvolvimento, saúde e qualidade de vida", afirma o presidente da Sanepar, Fernando Ghignone.

A Sanepar estudou dez alternativas para ampliar a capacidade de produção de água tratada. Considerando a disponibilidade hídrica e outros fatores, como ambientais e econômicos, atualmente se apresentam como mais viáveis a implantação de poços no Aquífero Karst; o sistema misto de poços no Karst e aproveitamento da água superficial da várzea do Capivari, formando o Sistema Capivari e a implantação do Sistema Faxinal.

De curto e médio prazos, algumas das alternativas estudadas já estão com obras em andamento ou prestes a ser iniciadas, como as melhorias nos poços do Karst, nas estações de tratamento de água Iguaçu, Iraí e Passaúna, construção da estação Barigui e, ainda a construção da Barragem do Miringuava, em São José dos Pinhais, cujas obras devem ser iniciadas ainda neste ano.

A preços de 2011, data de início dos estudos, a Sanepar estima que terá que investir R$ 547,3 milhões até o ano de 2040 para atender a demanda futura de água tratada. Em 2011 eram consumidos na região 9.734 litros de água por segundo. Em 2040, a necessidade deverá chegar a 13.168 l/s e a capacidade de produção deverá atingir o patamar de 13.765 l/s contra os 10.452 l/s de 2013. Também deverá ter crescimento significativo a capacidade de reservação. Hoje, os 50 reservatórios em operação armazenam 315 milhões de litros. Com a construção de 10 centros de reservação e a ampliação de outros 10, poderá ser armazenado volume superior a 460 milhões de litros, 46% mais do que o que pode ser armazenado hoje.

O Plano Diretor nos aponta o caminho a seguir nas próximas décadas para que as necessidades de água tratada sejam contempladas em quantidade e com qualidade”, diz o diretor de Investimentos da Sanepar, João Martinho Cleto dos Reis Junior.

O SAIC é responsável pelo abastecimento de água tratada aos moradores de Araucária, Campina Grande do Sul, Colombo, Curitiba, Fazenda Rio Grande, Pinhais, Piraquara, Quatro Barras, São José dos Pinhais, e parte de Almirante Tamandaré e de Campo Magro. Os demais municípios da Região Metropolitana que não integram o SAIC são atendidos por outros sistemas e são objeto de outro estudo.

DESAFIO – O Plano Diretor considera, desde as tendências de crescimento populacional, os hábitos de consumo per capita; onde a Sanepar vai captar água no futuro; como fará o transporte de longas distâncias; como será feito o armazenamento e a distribuição até os grandes centros consumidores, que são as áreas onde as pessoas moram. Este desafio se deve à falta de rios nas proximidades da RMC com capacidade para atender a população dentro das taxas de crescimento estimadas por zona de abastecimento e à necessidade de implantar estruturas de distribuição e de armazenamento de água tratada capaz de acompanhar as tendências de crescimento e ocupação de regiões vazias. “Implantar sistema de água para um loteamento ou condomínio de casas requer tempo muito maior ao da construção destas unidades”, diz Martinho.

O primeiro plano diretor de saneamento – que estudou o sistema de água e também o de esgoto - foi desenvolvido em 1975, sob o título “Plano Diretor de Abastecimento de Água e Controle de Poluição para a Região Metropolitana de Curitiba”, com horizonte de 30 anos.

A cada dez anos, o Plano é atualizado. Nesta versão, além de revisar o planejamento da exploração de futuros mananciais, os estudos buscaram alternativas para otimizar a complexa infraestrutura de estações de tratamento, reservatórios e de rede de distribuição já instalada. Também são propostas melhorias para o sistema integrado, além de identificar melhor flexibilidade na operação do sistema, com melhor aproveitando do potencial do sistema tronco.

TODO O PARANÁ – Para garantir a qualidade dos serviços que a Sanepar oferece à população, estudos técnicos e planos diretores como o de Curitiba e Região Metropolitana, consolidam o planejamento de longo prazo para as cidades atendidas pela companhia. Entre eles, estão em andamento os planos diretores do sistema de água do Litoral, de esgoto de Curitiba e Região Metropolitana, de esgoto de Londrina e Cambé e ainda o Plano Diretor de Recursos Hídricos para Região Norte do Estado do Paraná. Este último, mais amplo, abrange os sistemas de água, de esgoto e resíduos das estações de tratamento.

Também estão em andamento estudos técnicos preliminares e projetos de engenharia para ampliação dos sistemas de abastecimento de água e de esgotamento sanitário para as cidades da Região Sul do estado, entre elas, Foz do Iguaçu, Cascavel, Telêmaco Borba, Francisco Beltrão, União da Vitória, Ponta Grossa e Guarapuava.

Galeria