Notícias

Carnaval: água para hidratação deve ser tratada

02/03/2019

Água de bica ou que desce da Serra pode trazer doenças, apesar de ser transparente

A previsão do tempo para este feriado de Carnaval é de calor e de chuva em Curitiba e no Litoral do Paraná, com temperaturas máximas entre 28ºC e 32ºC nas praias e entre 24ºC e 27ºC na capital. Em outras regiões do Estado, estão previstas também temperaturas altas. “O hábito de tomar água é muito saudável e não deve ser esquecido em nenhum momento, mas o cuidado deve ser redobrado quando nos exercitamos muito, o que ocorre nas festas de Carnaval. Crianças, idosos e pessoas que tenham dificuldade para se hidratar sozinhas, devem ter ajuda e atenção especial”, orienta a enfermeira do Trabalho da Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar), Priscilla Rissetti de Souza. 

Priscilla explica que a água compõe cerca de 70% do corpo humano. “Perdemos água pelo suor, urina, fezes e lágrimas e, com temperaturas elevadas, a perda ocorre de maneira mais rápida porque transpiramos mais. Em dias mais quentes, o cuidado deve ser redobrado. A desidratação ocorre de maneira rápida e pode trazer confusão, tonturas, alteração de humor, dificuldades de memória e concentração. Em casos mais graves, pode ser preciso internamento para evitar comprometimentos mais sérios da saúde e mesmo a morte”, diz.  

A enfermeira lembra que o consumo de bebidas alcoólicas, como a cerveja, podem aumentar a desidratação. “Como ela é uma bebida diurética, quem a consome acaba indo mais ao banheiro e eliminando mais líquido. Assim, é necessário tomar mais água para manter a hidratação adequada e evitar os sintomas relacionados ao álcool”, diz. 

Para funcionar bem, nosso organismo precisa estar hidratado com água tratada e de acordo com as necessidades específicas de cada pessoa. Segundo ela, a sede é um mecanismo que indica que precisamos de água, mas a desidratação pode vir antes de termos sede.

A enfermeira afirma também que a água deve vir sempre de fonte confiável. “Há pessoas que, ao descerem para o Litoral do Paraná, param seus carros e pegam água que desce da Serra do Mar em bicas e fontes. Muitos pensam que é boa porque está geladinha e tem bom sabor. Isso é engano. São necessárias análises que atestem a qualidade. Consumir água não-tratada é um grande risco para a saúde”, orienta. A água contaminada pode causar diarréia, cólera, febre tifóide, leptospirose, hepatite A, amebíase e giardíase. Ela afirma que sucos e chás também podem ser utilizados para a hidratação. 

Necessidades individuais - Cada pessoa tem necessidades específicas de hidratação, mas a recomendação geral é que homens ingiram cerca de três litros de água por dia e as mulheres, dois. “Crianças, idosos, atletas, pessoas enfermas e deficientes devem ter recomendações médicas, conforme suas condições e necessidades”, explica Priscilla. Ela orienta para que seja estabelecida uma rotina de hidratação. “Tomar um pouco de água a cada hora é uma ótima forma de ficar bem hidratado. A cor da urina é uma indicação para saber se a hidratação foi eficiente. Quanto mais clara, mais hidratada”, diz a enfermeira. 

Garantia – Nos municípios litorâneos de Guaraqueçaba, Guaratuba, Matinhos, Morretes e Pontal do Paraná, o abastecimento de água é feito pela Sanepar, assim como em Curitiba e em mais de outras 300 cidades do Paraná. A água da Sanepar é tratada com cloro, o que garante a sua potabilidade e qualidade, e com flúor, que auxilia na prevenção de cáries dentárias, em atendimento à legislação.  

A Companhia segue procedimentos de controle e de vigilância da qualidade da água, determinados pelo Ministério da Saúde. O trabalho é realizado por mais de 500 empregados, nas 146 estações de tratamento de água e 82 laboratórios de análise da qualidade da água que a empresa possui no Paraná. Mais de 46 mil parâmetros são analisados por dia pela Sanepar para garantir a qualidade da água que distribui. Os resultados das análises são divulgados periodicamente no site da empresa (www.sanepar.com.br), em um relatório anual e também, de forma resumida, na conta mensal de seus clientes, além da divulgação obrigatória para secretarias municipais e estaduais e para o Ministério da Saúde.

Galeria