Notícias

Cascavel amplia ainda mais sistema de coleta do esgoto sanitário

30/06/2020

Com as novas redes coletoras no Santos Dumont e no Aeroporto a cidadedá mais um passo rumo à universalização do saneamento básico

Com uma invejável posição no ranking de saneamento do país, Cascavel terá novas obras para ampliar a rede coletora de esgoto. Foi assinada nesta terça-feira (30), pelo prefeito Leonardo Paranhos e pelo gerente da Sanepar, Renato Mayer Bueno, a ordem de serviço de R$ 3,7 milhões para a implantação de 10,4 quilômetros de tubulação no Bairro Santos Dumont e em parte do Bairro Aeroporto. A cidade, que já alcançou 98% no índice de coleta do esgoto, ruma para a universalização dos serviços de saneamento básico.

A chegada das obras é comemorada pelo prefeito e pelos moradores que esperavam o serviço há anos. “Cascavel está liderando o ranking nacional com 98% de esgoto. Precisamos reconhecer o trabalho da equipe da Sanepar de Cascavel porque não se traz dinheiro para a cidade sem projeto, sem planejamento, sem justificativa. Temos que respeitar os técnicos que enxergam essa necessidade. Com esse investimento de mais de R$ 3,5 milhões chegamos mais perto dos 100% e esse marco será histórico na cidade. Poucas cidades do Brasil têm a marca de Cascavel porque a cidade tem a marca da Sanepar no Paraná”, destacou o prefeito.

O vice-presidente da Associação de Moradores do Bairro Santos Dumont, Valdecir Pereira Munhois, disse que o investimento representa qualidade de vida para a população. “É um sonho de mais de 30 anos que hoje está se tornando realidade para nós. É uma obra que será muito bem-vinda”, afirma Valdecir.

Renato Mayer Bueno, gerente Geral da Sanepar, reconheceu o esforço do prefeito Paranhos e do vereador Josué de Souza na luta pela obra e também a decisão do governador Ratinho Júnior e do presidente da Sanepar, Claudio Stabile, na liberação do investimento para a cidade. “Essa obra tem uma importância fundamental porque segue o trabalho da Sanepar de buscar para Cascavel os 100% de atendimento com rede coletora de esgoto”.

O gerente explicou que o serviço visa, em primeiro lugar, o atendimento à questão ambiental uma vez que se evita lançamento de esgoto no lençol freático. E ele ressaltou ainda que o sistema traz melhoria à saúde da população e valorização à região porque permite o crescimento vertical.

Além da rede coletora, a obra integra 2,3 km de linhas de recalque e interceptores e uma estação elevatória, fazendo a coleta do esgoto dos 566 imóveis previstos no projeto e também de empreendimentos que surgirem nos dois bairros. As obras devem ser iniciadas em julho e concluídas até meados de 2021. Todo o esgoto coletado receberá tratamento na estação localizada na região Sul da cidade.

Galeria