Notícias

Começam os testes na Estação de Tratamento de Água Barigui

16/04/2015

Produção de até 200 l/s vai atender, exclusivamente, a população de Almirante Tamandaré

A Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) colocou em teste, em Almirante Tamandaré, a Estação de Tratamento de Água (ETA) Barigui. Na obra, em fase final de construção, foram investidos cerca de R$ 10 milhões para ampliar a capacidade de produção em até 200 litros de água por segundo. A previsão é de que a água comece a ser distribuída para a população nas próximas semanas.

A produção extraída do Rio Barigui passará, juntamente com os poços já perfurados no Aquífero Karst no município, a atender exclusivamente as necessidades de abastecimento dos moradores da cidade. Hoje, 75% do volume consumido em Almirante Tamandaré vêm dos poços e o restante é fornecido pelo Sistema de Abastecimento Integrado de Curitiba (SAIC), que também atende a capital e outros municípios da Região Metropolitana.

ÁGUA DE QUALIDADE – Compõem o empreendimento a construção de várias unidades como barragem, captação, ETA, reservatório, casa de química, tanque de produtos químicos, lagoa de decantação, elevatória de recirculação de lodo e, ainda, a implantação de 170 metros de adutora bruta, que levará a água do Rio Barigui à estação e mais 1.200 metros de adutora, que fará o transporte da estação até o Reservatório Central. As obras tiveram início em 2013. Todo o conjunto da obra – barragem, captação e ETA – foi construído próximo às nascentes do Rio Barigui, garantindo água de excelente qualidade para os moradores.

Para regularizar a vazão do Rio Barigui foi necessário construir a barragem com 4,5 metros de altura. Além de regularizar as condições de escoamento do rio, a barragem favorece a captação de água sem turbulência e sem materiais grosseiros, como areia. A barragem foi executada em duas estruturas de contenção tipo gabião, com tela galvanizada e revestida em PVC.

OBRA INOVADORA – O núcleo, em concreto armado, juntamente com manta em PEAD (polietileno de alta densidade), atribuem estanqueidade ao conjunto. O vertedouro e soleiras foram revestidos em concreto de alta resistência, garantindo durabilidade e a uniformidade no escoamento.

A nova barragem conta ainda com tubos extravasores em ferro dúctil, que permitem a descarga e limpeza do fundo. “A solução adotada é diferenciada. Optamos pela mais econômica, sem prejuízo ao prazo, às características técnicas e à qualidade necessária. Pelo método construtivo adotado, esta barragem é ousada e inovadora”, diz o engenheiro responsável pela obra, Fábio Toniolo.

Outras vantagens da opção adotada foram a rápida concepção e execução do projeto, facilidade e rapidez na execução dos gabiões e farta opção de mão de obra. “Tudo isso somado resultou em uma obra célere e econômica", enfatiza Toniolo.

Galeria