Notícias

Municípios do Oeste conhecem soluções para gestão de resíduos sólidos

03/10/2017

Prefeitos e representantes das cidades que integram a Amop estiveram em Curitiba nesta quarta-feira em reunião com Sanepar e SEMA

A Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) e a Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (SEMA) apresentaram soluções à questão da destinação dos resíduos sólidos a municípios do Oeste do Paraná na manhã desta terça-feira (3), em Curitiba. Participaram prefeitos, secretários municipais e vereadores.

No encontro, a SEMA apresentou a proposta do Programa Paraná Resíduos, do governo estadual, cuja função será incentivar a formação de consórcios intermunicipais com a participação do Estado. Dentro do programa, a Sanepar seria a responsável pelo tratamento e destinação dos resíduos sólidos urbanos. Atualmente, a Empresa é a responsável pela operação dos aterros sanitários de Cornélio Procópio, Cianorte e Apucarana.

“Solucionar a questão da destinação dos resíduos sólidos é hoje um dos maiores desafios da gestão pública e a Sanepar possui conhecimento e tecnologia para contribuir com os municípios nesse processo”, afirmou o presidente da Sanepar, Mounir Chaowiche.

O modelo de consórcio poderá se adequar de acordo com a realidade de cada região e deve atender as particularidades de cada cidade. Para o secretário estadual de Meio Ambiente, Antonio Carlos Bonetti, “a fórmula é perfeita” porque, individualmente, “os municípios têm dificuldade em atender à legislação, sendo que o custo também é muito alto. De maneira compartilhada, a solução para o problema do lixo se torna viável”, afirmou.

Dos 399 municípios do Estado, 214 ainda possuem aterros controlados e lixões. A maioria destas cidades têm menos de 20 mil habitantes. Entre os municípios da Amop, 76% possuem entre 10 e 20 mil habitantes.

MÚLTIPLAS SOLUÇÕES – De acordo com o diretor de Meio Ambiente da Sanepar, Glauco Requião, na destinação dos resíduos, existem soluções múltiplas que não se encerram no tratamento, mas que buscam também a valorização dos resíduos. Uma dessas formas de valorização é a transformação do lixo em energia. Esta solução foi vista na prática pelos representantes dos municípios na tarde desta terça-feira, durante visita técnica à CS Bionergia.

Instalada dentro da Estação de Tratamento de Esgoto Belém, em Curitiba, a CS Bionergia utilizará como matéria-prima para a produção de energia resíduos orgânicos e lodo de esgoto. A planta em construção terá capacidade para gerar 2,8 MW de energia, o suficiente para abastecer 2.100 unidades consumidoras ou 8.400 pessoas.

“Nós ficamos muito satisfeitos com a visita dos prefeitos da Amop porque conseguimos transmitir a visão da Sanepar em relação aos resíduos sólidos”, disse Glauco Requião. O diretor ressaltou que a proposta da Sanepar é parte de um esforço conjunto da SEMA, Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano (SEDU), Fomento Paraná e Paranacidade.

CONTINUIDADE – Este foi o primeiro encontro promovido com os municípios que integram a Associação dos Municípios do Oeste do Paraná (Amop). O objetivo é o de que apresentação semelhante seja feita em Cascavel ainda em outubro para a discussão entre as 52 cidades que integram a Associação.

“Pensar numa alternativa conjunta é importante porque desonera despesas para os municípios pequenos. Creio que a região da Amop vai aderir à proposta não apenas por uma questão de custos, mas para atuarmos de forma ambientalmente correta”, disse o presidente da Amop, Rineu Menoncin (Teixeirinha), prefeito de Matelândia.

O encontro foi acompanhado pelo deputado estadual José Carlos Schiavinato (PP).

Galeria