Notícias

Operação da CS Bioenergia deve iniciar em janeiro

16/11/2016

Energia sustentável a ser gerada é suficiente para atender 2.100 famílias
Em janeiro deve entrar em operação a unidade de produção de energia sustentável da CS Bioenergia – empresa formada pela Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) e a Cattalini Bioenergia, em Curitiba. Com investimentos da ordem de R$ 62 milhões, a CS Bioenergia deve tratar 600 m³ de lodo de esgoto por dia e 150 toneladas por dia de resíduos orgânicos (restos de alimentos). A potência instalada é de 2,8 MW (Mega Watts). Esta energia é suficiente para atender 2.100 casas ou 8.400 pessoas.

Na primeira etapa de operação, a matéria-prima a ser utilizada na biodigestão é o lodo gerado na Estação de Tratamento de Esgoto Belém. Em abril de 2017, devem ser incorporados ao processo resíduos orgânicos da Ceasa e de grandes cozinhas, como de restaurantes e de praças de alimentação de shoppings.

A energia será produzida pela queima do biogás formado durante a degradação do lodo e dos resíduos orgânicos. “Esta usina termoelétrica, instalada ao lado da maior estação de tratamento de esgoto da Sanepar, representa uma grande contribuição do Paraná para a sustentabilidade no Brasil. Vamos usar rejeitos para produzir um insumo nobre”, afirma o presidente da Sanepar, Mounir Chaowiche.

Posteriormente, os resíduos que sobrarem do processo de produção energética poderão ser aproveitados como fertilizante.

A OBRA – Das obras civis da usina, iniciadas em janeiro de 2014, 90% já foram executadas. Atualmente, estão sendo instalados equipamentos, como dois motogeradores com 1,4 MW cada; os sistemas de separação de resíduos; de homogeneização dos resíduos orgânicos e ainda os sistemas de desaguamento do lodo.

“No Brasil, o biogás ainda é um negócio novo, apesar de a tecnologia já ser consagrada no exterior. O País precisa implantar uma política pública para desenvolver uma cadeia de suprimento para o biogás. O setor de saneamento tem muito a contribuir com o setor elétrico”, destaca Luciano Fedalto, diretor técnico da CS Bioenergia.

Galeria