Notícias

Plano de Segurança da Água foi tema de workshop em Cascavel

19/12/2019

O trabalho pioneiro será modelo para as demais cidades do Paraná

Cascavel discutiu nesta quinta-feira (19) o Plano de Segurança da Água, com a participação de técnicos da Sanepar, das áreas da Saúde e de Meio Ambiente do Município de Cascavel, da Defesa Civil do Estado e do Município, de ONGs, de universidades e da sociedade civil. Foram apresentadas e debatidas as ações que estão sendo desenvolvidas nas bacias dos mananciais de abastecimento da cidade.

Participaram da abertura do workshop pioneiro do PSA o diretor-presidente da Sanepar, Claudio Stabile, o diretor de Meio Ambiente, Júlio Cesar Gonchorosky, o presidente da Fundetec, Alcione Gomes, representando o prefeito Leonaldo Paranhos, e o secretário municipal de Meio Ambiente, Wagner Yonegura.

O PSA segue a metodologia da Organização Mundial da Saúde (OMS) e atende às diretrizes da Portaria de Consolidação número 5 do Ministério da Saúde que define o padrão de potabilidade da água para consumo humano. Como detentora da concessão dos serviços públicos de abastecimento, a Sanepar iniciou os levantamentos e diagnósticos das bacias dos três rios que abastecem a cidade: Cascavel, Peroba e Saltinho, e também do Rio São José, que passará a integrar a lista dos mananciais de abastecimento a partir do próximo ano.

O presidente Claudio Stabile explicou que a ideia é fazer um trabalho de responsabilidade e de atribuições compartilhadas, e que Cascavel foi escolhida por ter sido dentre as maiores cidades do Paraná a que mais sofreu com a estiagem. “Nossos indicadores, além do Lago Municipal, já mostravam a gravidade da situação hídrica e dessa necessidade, desse cuidado com as bacias hidrográficas. E dentro da ideia de responsabilidades compartilhadas, propusemos trazer principalmente a população para discutir e entender cada medida que está sendo tomada”, argumentou Stabile.

Promovido pela Sanepar, o evento teve por finalidade apresentar o andamento das atividades executadas até agora e o cronograma previsto para os próximos meses, que deve contar com a participação de entidades estaduais e municipais, de representantes da sociedade civil, das associações de classe e de representantes dos usuários da bacia. Para realizar o evento, a Sanepar teve apoio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, da Defesa Civil, do Conselho Municipal de Meio Ambiente (Comam) e da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

O secretário Wagner Yonegura disse que esse é um dos importantes passos para garantir a segurança da água da cidade. “Estamos satisfeitos com a Sanepar por ter escolhido a nossa cidade para criar esse projeto como referência, especialmente, por termos vivido uma das piores crises hídricas. Esse plano deve realmente nos auxiliar, para evitar que isso volte a ocorrer no futuro”, ressaltou.

O PSA de Cascavel servirá de base e modelo para os demais sistemas de abastecimento da Sanepar. “Cascavel será modelo para todo o Paraná, e a informação que eu tenho é que é o primeiro trabalho feito no Brasil dentro desse formato. Então é possível que nós sejamos na verdade um piloto. Cascavel como exemplo para o Paraná, e o Paraná para o Brasil”, destacou o presidente da Sanepar.

Estarão agregadas no documento as ações propostas em projetos do Centro Universitário de Estudos e Pesquisas sobre Desastres (Ceped/PR) voltados à redução de riscos de desastres (RRD) em áreas de mananciais.

A palestra de abertura tratou do tema das cidades resilientes e inteligentes, apresentada pelo capitão Murilo Sinque de Paula, do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil.

Na sequência, a gerente de Recursos Hídricos da Sanepar, Ester Amélia Assis Mendes, e o engenheiro Raul Marcon, coordenador de Reservatórios e Mananciais da Sanepar, falaram da metodologia do PSA, das características das bacias dos rios Cascavel, Peroba e Saltinho, baseados nos dados apurados em novembro, apontando o perfil preliminar de qualidade destes mananciais.

Durante o evento, o presidente da Sanepar entregou ao secretário Wagner Yonegura e aos representantes da Defesa Civil do Estado e do Município, o termo de referência do Plano de Segurança de Barragem (PSB) e de Ação de Emergências (PAE), do Lago Municipal de Cascavel.

Também participaram do evento o assessor da Casa Civil, Matheus Maurício Ramos, que representou o presidente do Instituto das Águas do Paraná, José Luiz Scroccaro, a chefe do IAP de Cascavel, Marlise da Cruz, o presidente da Comissão de Direito Ambiental da OAB, Fabrício Marsango, a coordenadora do Centro de Pesquisa em Proteção e Desastres da Unioeste, professora Irene Carniatto, o presidente da Ong Amigos dos Rios, professor Adelar Valdameri.

Galeria