Notícias

Presidente da Sanepar visita estação de esgoto de Toledo

11/02/2019

Com o uso de novas tecnologias, unidade foi implantada em tempo recorde e possibilitou desativação de 4 outras estações

O diretor-presidente da Sanepar, Claudio Stabile, o prefeito de Toledo, Lúcio de Marchi, o deputado estadual Marcel Micheletto e o diretor-presidente da Fomento Paraná, Heraldo Neves, visitaram a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Rio Toledo, na sexta-feira (8). Em operação desde junho do ano passado, a estação tem uma das mais novas tecnologias de tratamento de esgoto que confere maior rapidez na etapa de implantação. A obra de implantação desta unidade levou apenas seis meses.

A comitiva conheceu as etapas pelas quais o esgoto passa até ser tratado,  depurado e devolvido ao rio. A implantação da ETE Rio Toledo permitiu que fossem desativadas quatro outras estações de tratamento: Paulista, Bressan, Dom Pedro e Parizotto, que estavam instaladas em áreas muito adensadas pela população. Esta unidade, por ser modular, é de rápida instalação, remanejável e usa como tecnologia aeração natural para redução da matéria orgânica solúvel.

Stabile, que já conhecia o processo pelos projetos, confirmou que a ETE Rio Toledo é um exemplo de novas tecnologias que podem oferecer solução para coleta e tratamento do esgoto. “A tecnologia dessa estação permite o controle da emissão de gases e o tratamento praticamente sem odor, o que é atípico no processo de tratamento do esgoto”, disse.

Ele destacou ainda que a implantação modular atende de forma mais rápida a necessidade da população e permite a ampliação do sistema de acordo com a demanda. “O sistema pode começar, por exemplo, com um módulo e ir aumentando para 2, 3 ou 4. Isso não requer investimento muito grande e a ampliação atende à demanda de cada local”, explicou Stabile. Outras tecnologias semelhantes à de Toledo estão sendo implantadas em Céu Azul, Matelândia e Três Barras do Paraná.

O prefeito de Toledo, Lúcio de Marchi, ressaltou que a Sanepar atendeu de forma rápida às reinvindicação dos moradores vizinhos das antigas estações. “Em apenas seis meses de execução, essa obra permitiu tirar as estações de tratamento do Centro da cidade, que incomodavam a população”, disse.

Para implantar a ETE Rio Toledo, a Sanepar investiu R$ 20,5 milhões. A estação tem capacidade para tratar 100 litros de dejetos por segundo. Além da construção da ETE Modular, a Sanepar também implantou mais de 2 km de tubulação que conectou a rede coletora à unidade de tratamento. Atualmente 81% dos moradores de Toledo têm acesso aos serviços de coleta e tratamento de esgoto.

 

Galeria