Notícias

Primeiro reservatório de Ponta Grossa continua a atrair visitantes

13/07/2017

A Sanepar promove o resgate da memória do saneamento da cidade com visitas monitoradas

Ela reviveu a infância e se encantou com a beleza do jardim. “Adorei, fui transportada para o meu tempo de criança”, disse dona Cléa Pereira. A aposentada faz parte do grupo de 20 idosas do Centro de Referência de Assistência Social 31 de Março que visitou, na tarde de quarta-feira (12), o Reservatório Botuquara em Ponta Grossa. “É muito bonito. Fiquei muito feliz quando a Sanepar fez a reforma, mas até agora não tinha tido a oportunidade de visitar o local. Estudei no Colégio Júlio Teodorico, aqui ao lado, e lembro bem de como era naquela época. O caramanchão ficou igualzinho antigamente”, compara.

A colega Emília Faria Machado disse que “sequer imaginava que existisse um jardim como este no centro de Ponta Grossa”. Dona Santina Rocha Portela, que vive na cidade há quase cinquenta anos, contou que tiveram uma tarde de muito boas surpresas. “Conhecemos a história do saneamento, do antigo até o novo”, diz.

Reaberto pela Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) à visitação desde 2014, o Reservatório Botuquara já recebeu cerca de 3 mil visitantes. Somente neste ano houve mais de 600 atendimentos no trabalho de educação ambiental. A maior parte de grupos formados por estudantes de todas as faixas etárias, não apenas de Ponta Grossa, mas também de municípios vizinhos. A gestora de educação socioambiental da Sanepar, Luciana Garcia, observa que o Reservatório acabou se tornando, de fato, “um espaço que as instituições de ensino têm aproveitado para aulas diferentes, de construção do conhecimento através da vivência, tendo o patrimônio histórico e cultural como ferramenta educativa”, afirma.

A professora Fabiani Magri confirma. Acompanhada de seus 22 alunos do segundo ano da Escola Municipal Theresa Gaertner Seifarth, de Carambeí, ela disse que a visita ao Reservatório fez parte de um projeto desenvolvido dentro do programa Agrinho, que tem como foco a educação ambiental. “Nossos alunos ficaram encantados. Um jardim nesse tipo de estrutura chamou muito a atenção deles, e pudemos fazer o link com o projeto de resgate ambiental que estamos trabalhando”, conta a professora. Fabiani diz ter encontrado na visita ao Botuquara uma forma de aprofundar os conteúdos trabalhados em sala de aula a respeito da água e da preservação do meio ambiente.

O Reservatório Botuquara recebe ainda membros de clubes de serviço, professores, escolas de idiomas, associações e a comunidade em geral. O espaço também faz parte do roteiro do projeto Conhecendo PG, da Fundação Municipal de Turismo. Eventualmente também é requisitado, principalmente por noivos e debutantes, para servir de cenário em ensaios fotográficos.

Visite – Localizado na Rua Barão do Cerro Azul, esquina com a Rua Francisco Ribas, no centro de Ponta Grossa, o Reservatório Botuquara ainda tem funcionalidade no sistema de abastecimento, armazenando 2,7 milhões de litros de água tratada. Ele foi o primeiro reservatório de abastecimento público da cidade, e já soma 103 anos de existência. Foi considerando o seu valor histórico e cultural para a memória da cidade que a Sanepar revitalizou a construção e o jardim suspenso, tornando o prédio um “Espaço de Memória”, que expõe, em painéis, a história do saneamento em Ponta Grossa.

Por se tratar de uma construção centenária, tombada pelo Patrimônio Histórico e Cultural do município desde 2002, o espaço requer atenção especial, por isso, as visitas são guiadas, mediante agendamento prévio com a Sanepar. Os interessados podem entrar em contato com a Unidade de Educação Socioambiental da empresa pelos telefones 2102-4444/45 ou através do e-mail visitaspg@sanepar.com.br.

 

Galeria