Notícias

Sanepar amplia distribuição de adubo para agricultores

27/07/2020

Produto gerado nas estações de tratamento de esgoto da Companhia aumenta produtividade em áreas beneficiadas

O adubo produzido a partir do lodo de esgoto da Sanepar, em 2019, aumentou a produtividade de 2.600 hectares beneficiando 122 agricultores de 46 municípios no Paraná. Na semana em que se comemora o Dia do Agricultor (28 de julho), a Sanepar divulga o balanço do Programa de Uso Agrícola do Lodo, em relatório entregue ao Instituto Água e Terra (IAT).

No ano passado, a Sanepar destinou mais de 27 mil toneladas de lodo, gerado nas estações de tratamento de esgoto. Um volume 30% maior do que no ano anterior. “Isso significa que aumentamos a quantidade de lodo disposto da forma mais adequada social e ambientalmente: o uso agrícola. O material que é usado na agricultura deixa de ir para os aterros”, afirma o diretor de Meio Ambiente e Ação Social da Sanepar, Julio Gonchorosky.

De todo o lodo gerado nas 249 estações de tratamento de esgoto da Sanepar, 41% vai para a agricultura. “Além de ser distribuído gratuitamente, o lodo substitui com vantagem o uso de corretivos da acidez e também contém nutrientes, aumentando a eficiência das culturas”, afirma o diretor. A Sanepar trabalha para ampliar ano a ano a destinação agrícola do produto.

No Paraná, a região Noroeste é a que mais recebe o lodo de esgoto na agricultura, com aproveitamento de 100% do material produzido nas estações de tratamento. No início de 2020, o Norte Pioneiro passou a integrar o Programa de Uso Agrícola do Lodo da Sanepar. Cerca de 320 toneladas de lodo higienizado foram aplicados nas culturas de café e trigo de três famílias produtoras em Santo Antônio da Platina, Carlópolis e Andirá.

E há dezenas de produtores cadastrados para aplicação de lodo em culturas frutíferas, como abacate, goiaba e abacaxi, além do café e das culturas anuais de grãos. “Os produtores que receberam lodo elogiaram a eficiência do produto no desenvolvimento das culturas de café e trigo, o que faz aumentar a demanda de mais agricultores interessados. A maior propaganda do lodo tem sido feita por aqueles produtores que já utilizaram o lodo”, afirma o diretor.

O cafeicultor Everton José Panegada está otimista com a produtividade das propriedades da família em Santo Antônio da Platina. É a primeira vez que os sítios Pica-Pau e Mandi receberam o lodo da Sanepar, mas o agricultor diz que já é perceptível o impacto positivo da aplicação. “Notei que onde foi aplicado já teve diferença na lavoura”, afirma.

Everton elogia os técnicos da Sanepar que o orientaram sobre a existência do Programa e em relação a todos os aspectos legais para o uso do lodo. “A engenheira esteve nas propriedades, vistoriou o solo e conferiu as análises. Viu a questão da inclinação do terreno e a proximidade com nascentes e, só então, liberou a aplicação”, comenta. 

“Falei para a engenheira que já gostei e que estou na fila para receber mais um lote. Conversei com um pessoal de Carlópolis, que também aprovou o lodo que recebeu”, destaca.

O lodo pode ser usado em culturas anuais: soja, milho, feijão, trigo, cevada e aveia (cobertura); em culturas perenes: café, grama, palmito juçara, goiabeira, citrus (limão, laranja, poncã), fruteira de caroço, amoreira (produção de seda) e café; e em culturas florestais, como a da seringueira.

Para o uso agrícola, são feitas análises do lodo e do solo, o que garante a qualidade do produto e a quantidade a ser aplicada em cada propriedade.

A Sanepar iniciou em 2002 o uso agrícola do lodo de esgoto. Em 2016, o Programa da Organização das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma), principal autoridade na definição da agenda ambiental mundial, divulgou a experiência de uso agrícola do lodo da Sanepar como um bom exemplo na conservação do meio ambiente e o desenvolvimento sustentável.

Agricultores interessados em participar do programa podem enviar e-mail para: lodoagricola@sanepar.com.br

 

 

 

 

Galeria