Notícias

Sanepar e AMOP voltam a discutir consórcio intermunicipal

21/12/2017

As discussões avançam e a proposta do consórcio já tem adesão de 30 municípios do Oeste

A constituição de um consórcio entre municípios do Oeste do Paraná para a gestão dos resíduos sólidos avançou ainda mais na última semana. Técnicos da Sanepar, prefeitos, secretários e representantes dos municípios que integram a Associação dos Municípios do Oeste do Paraná (AMOP) reuniram-se em Toledo para conversar sobre detalhes do consórcio, entre eles, tecnologia a ser utilizada no tratamento, geração de energia e projeção tarifária.

No dia 7 de dezembro, foi sancionada lei que cria o Programa Estadual de Resíduos Sólidos - Paraná Resíduos, sob a coordenação da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sema), para apoiar a gestão integrada dos resíduos sólidos nos municípios paranaenses. Por esse programa, a Sanepar será a responsável pela gestão e operação dos aterros sanitários.

Segundo o gerente da Unidade de Gerenciamento de Resíduos Sólidos da Sanepar, Charles Carneiro, levantamentos técnicos já realizados pela Sanepar apontam condições favoráveis para que o aterro sanitário de Toledo seja o local para a usina de recebimento e de reciclagem dos resíduos da região.

Até o momento, 30 municípios já manifestaram a intenção de participar do consórcio. A previsão é a de que em janeiro do próximo ano, em Curitiba, seja feito novo encontro para assinatura de ratificação da participação do Governo do Estado de dos municípios no Consórcio.

INOVAÇÃO - Para Carneiro, a proposta do consórcio do Oeste é inovadora e possibilitará, entre outros benefícios, a geração de energia nos aterros pelo processo de biodigestão. “Essa energia pode ser comercializada ou utilizada nos próprios sistemas. Outra inovação que podemos fornecer é o tratamento do chorume com tecnologia de osmose inversa, para gerar um chorume com qualidade superior à de água potável. Isso oferece garantia de qualidade aos gestores e ao meio ambiente”, explicou o gerente.

Para o gerente geral da Sanepar Renato Mayer Bueno, a Sanepar buscou, ao longo dos seus 54 anos, aprimorar sempre mais os seus serviços e agora investe no tratamento de resíduos sólidos. “A empresa foi buscar conhecimento, desenvolvimento de tecnologias e aprimoramento da sua força de trabalho, o que a coloca como nova opção no mercado para solucionar do grande problema da destinação adequada dos resíduos sólidos”, destacou Renato.

INTEGRAÇÃO – O prefeito de Toledo, Lúcio de Marchi, foi indicado para presidir a diretoria provisória do Consórcio da AMOP. “Toledo deverá ser a sede do consórcio que, junto com a Sanepar, vai implantar uma grande usina e solucionar os problemas dos resíduos sólidos da região, tornando-se modelo para o Paraná”, afirmou o prefeito.

O deputado José Carlos Schiavinatto, um dos grandes incentivadores da criação do consórcio, disse que a administração pública precisa pensar no município como um todo e é o que os prefeitos da região estão fazendo. Agora, para ele, com a participação da Sanepar, vai ficar mais fácil. Schiavinatto destacou ainda que será preciso a participação de todos os municípios “para que haja volume suficiente de lixo, dando mais sustentabilidade ao novo modelo”.

O presidente da AMOP, Rineu Menoncin, se mostra preocupado com a questão do lixo e do meio ambiente. “Precisamos solucionar os problemas dos resíduos sólidos em nossos municípios e para isso pedimos que os prefeitos conheçam e analisem a proposta do consórcio para que possamos assim fazer uma grande parceria em benefício da nossa região”.

Galeria