Notícias

Sanepar e Emater querem ampliar o uso do lodo de esgoto na agricultura

29/11/2018

Nos últimos 11 anos, foram destinados mais de 280 mil toneladas de lodo produzido nas estações de esgoto para as lavouras do Paraná

A Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) e o Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) assinaram parceria, nesta quinta-feira (29), para desenvolver um plano de trabalho para ampliar a destinação de lodo de esgoto para a agricultura. O evento foi realizado na Unidade de Referência Tecnológica (URT) da Família Sussai, propriedade rural que tem usado o lodo de esgoto no cultivo de café e que se tornou modelo na região de Santa Fé, Noroeste do Paraná. Estavam presentes agricultores do Norte e Noroeste do Estado, representantes de órgãos estaduais, prefeitos, vereadores e deputados.

Realizado em parceria entre a Sanepar e o Emater, o projeto será desenvolvido no âmbito do Programa Integrado de Conservação de Solo e Água do Paraná, com o apoio do Governo do Estado. O objetivo é ampliar a divulgação e o cadastro de agricultores interessados em utilizar o lodo de esgoto gerado nas Unidades de Gerenciamento de Lodo (UGL) distribuídas pelo Estado. Todo o trabalho técnico junto aos agricultores será desenvolvido pelos profissionais do Emater.

“Com o apoio da Emater, a Sanepar vai conseguir atender um número maior de propriedades rurais, beneficiando muitos agricultores em todo o Estado”, afirma a diretora de Meio Ambiente da Sanepar, Fabiana Campos. Ela destacou que transformar o lodo, que é um passivo ambiental, em importante ativo, como o adubo, traz um ganho para todos. “Ganha o agricultor, com redução de custo e aumento de produtividade; ganha a Sanepar, que não envia esse passivo para os aterros sanitários; e ganha o meio ambiente”, disse.

O gerente de operações da Emater na Macrorregião Noroeste, José Francisco Lopes, afirma que a parceria com a Sanepar é importante para a melhoria de vida dos agricultores. “Nós, enquanto extensionistas, vamos levar um aduvo de qulaidade que vai contribuir para melhorar a produtividade da lavoura e as condições de vida dos produtores”, disse.

Entre as atividades a serem implementadas pela Emater estão a realização de reuniões de esclarecimento em entidades municipais, reuniões técnicas, encontros e dias de campo para cadastro de agricultores, implantação de unidades demonstrativas em eventos agropecuários e avaliação de produtividade em áreas que utilizam lodo de esgoto.

LODO – A Sanepar começou as pesquisas para uso do lodo de esgoto na década de 1990 e, desde 2007, mais de 280 mil toneladas do produto já foram aplicadas em terras paranaenses. Chamado também de biossólido, o lodo é cedido gratuitamente, fertiliza o solo e corrige o pH, contribuindo para o aumento da produtividade e reduzindo o custo da produção.

A Sanepar possui Estações de Tratamento de Esgotos (ETEs) em 181 municípios e 41 Unidades de Gerenciamento de Lodo (UGLs), que fazem processamento, monitoramento e destinação do lodo de esgoto para aplicação nas áreas agrícolas. O programa promove maior sustentabilidade no saneamento, proporciona a reciclagem da matéria orgânica e de nutrientes e reduz a destinação deste resíduo para aterros sanitários.

Somente em 2017 as unidades da Sanepar produziram 16.850 toneladas de lodo. Foram elaborados, pelos técnicos da Sanepar e do Emater, 120 projetos agronômicos, beneficiando mais de 70 agricultores, abrangendo uma área de 1.800 hectares em todo o Estado. Maringá foi a cidade que mais destinou lodo de esgoto no último ano. Foram 4.540 toneladas, equivalente a 27% de todo o lodo entregue no Paraná em 2017.

Galeria