Notícias

Sanepar integra mutirão contra dengue em Cascavel

12/04/2019

Em apenas um dia foram recolhidas 2 mil toneladas de lixo, entulho e inservíveis

Buscando a preservação dos rios de Cascavel, a Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) integra a equipe que está mobilizando a cidade num grande mutirão de limpeza para eliminar focos do mosquito aedes aegypti. O Mutirão Água Boa – Cidade Limpa, coordenado pela Prefeitura Municipal, também quer evitar que grande parte do lixo desemboque nos rios da cidade, especialmente, os que são utilizados para abastecimento público.

As equipes da Sanepar trabalham no apoio do evento levando água envasada aos trabalhadores que estão na missão de faxinar a cidade. Além disso, por meio da Companhia, as empresas terceirizadas estão disponibilizando caminhões, retroescavadeira e caçambas para coletar o grande volume de resíduos que está sendo depositados em frente aos imóveis.

A estrutura do mutirão tem mobilizado cerca de 600 pessoas e mais de 100 veículos. Dentre as equipes estão ainda contingentes do Exército, das secretarias municipais, de órgãos do Estado e voluntários. Os participantes, além de “declarar guerra” ao transmissor da dengue para evitar uma epidemia de dengue, buscam evitar que o lixo provoque a contaminação das águas da cidade. O mutirão também busca reduzir a proliferação do escorpião amarelo.

A cidade foi dividida em três áreas. Cada dia está sendo trabalhado numa dessas áreas. O mutirão segue até amanhã (13). Porém, o trabalho não vai parar. Os imóveis fechados, os de pessoas consideradas acumuladoras irão passar por atendimento diferenciado na próxima semana. O decreto do município permite, nessa situação, que seja se adentrem lotes com a presença da guarda municipal e de chaveiros. As equipes também já estão se organizando para voltar a fazer a visitação na próxima semana e recolher o material que não foi possível recolher no início dos trabalhos.

Limpeza nos rios– A Sanepar contratou uma empresa para recolher o lixo e entulho que estava depositado nas margens e nas águas dos rios Cascavel e Quati. A quantidade de material retirado assusta: móveis, eletrodomésticos, fogões, geladeiras, pneus, isopor e muita garrafa PET foram se avolumando no curso de água abaixo da captação a ponto de represar esse curso, provocando alagamentos. O que chamou a atenção das equipes foi o recolhimento de mais de 400 capacetes de motociclistas.

O material foi encaminhado ao aterro da empresa contratada para separação e reciclagem do que fosse possível.

Galeria