Notícias

Santa Tereza do Oeste terá sistema de esgotamento sanitário

11/12/2019

Cidade deve atingir 85% no índice de atendimento com coleta e tratamento do esgoto até 2025

A Sanepar começou mais uma etapa do processo de implantação do sistema de esgotamento sanitário de Santa Tereza do Oeste. Na manhã desta quarta-feira (11), aconteceu a reunião de início do projeto para execução de mais 28,6 quilômetros de redes coletoras, interceptores, emissário e linha de recalque de esgoto.

O diretor de Investimentos da Sanepar, Joel de Jesus Macedo, apresentou ao prefeito Elio Marciniak (Kabelo) o mapa e o cronograma das obras previstas para a cidade. No encontro também foi assinado o contrato com a vencedora da licitação, a empresa Projesan Engenharia e Consultoria Ltda., representada pela engenheira Solange Andrade Silva Portugal. O prazo para conclusão do projeto, que atenderá a bacia do Rio Gonçalves Dias, é de 180 dias.

Macedo destacou que a Sanepar está buscando a universalização do saneamento no Estado para atender aos 749 mil paranaenses que ainda não contam com o serviço de coleta e tratamento do esgoto, dentre os quais estão os moradores de Santa Tereza do Oeste. Ele lembrou que 10,2 milhões de pessoas já se beneficiam com os serviços no Paraná. “A Sanepar tem contrato com o município prevendo atingir 85% no índice de atendimento com a rede coletora de esgoto até 2025. A empresa está trabalhando nos projetos e nas obras para implantação do sistema”, explicou o diretor. 

O sistema de tratamento de esgoto traz inúmeros benefícios para as cidades. “Além de contribuir com o melhor desenvolvimento humano, com a valorização imobiliária e com a verticalização das cidades, também traz benefício direto na saúde”, destacou o diretor.

Investimento para o futuro –O prefeito Elio Marciniak falou que o sistema de esgoto é um grande sonho para o município, que a população esperava por ele há muitos anos e que nunca houve um empenho tão grande para sua concretização. “Nossa cidade é considerada o portal do grande Parque Nacional do Iguaçu e, por isso, tem uma grande responsabilidade de proteção ambiental. Temos projeto de transformá-la numa nova Santa Tereza, que a cada dia vem atraindo novos investidores. A licitação anunciada em novembro tem atraído pessoas para cá. De cada cinco alvarás de construção que liberamos aqui, quatro são de pessoas de fora, que estão investindo no nosso município”, comemora Kabelo.

Processo em andamento - A primeira etapa das obras deve entrar em licitação em janeiro, com previsão de início para maio do próximo ano. Ela deve gerar no município 291 empregos diretos e 1.500 indiretos, movimentando a economia local. Nela estão previstas a construção de uma estação de tratamento de esgoto (ETE) com vazão média de 10 litros por segundo, a implantação de 20 quilômetros de rede coletora, 5 quilômetros de emissário e a interligação de 1.300 ligações. Essa fase vai contemplar os moradores da bacia do córrego Santa Tereza, na região próxima da BR 227.

Com a construção do sistema de coleta e tratamento do esgoto, Santa Tereza do Oeste terá estação de tratamento, elevatórias, 41,3 mil metros de redes coletoras e 2.057 ligações prediais.

A cidade vai saltar de zero para 85% dos imóveis atendidos com rede coletora, tendo 100% de tratamento do esgoto coletado, em apenas 5 anos. Os investimentos ultrapassam os R$ 32 milhões. Eles estão assegurados pela Sanepar, com financiamento da Caixa Econômica Federal, e não comprometem o orçamento do município.

 

 

 

 

Galeria