MEMÓRIA

Datas significativas da memória histórica do saneamento do Paraná

8 de setembro de 1871: é inaugurado o primeiro chafariz de estilo no antigo Largo Zacarias, atual Praça Zacarias. Com o chafariz, projetado e construído pelo engenheiro Antônio Rebouças Filho, começou a história do encanamento de água no  Paraná. A fonte se localizava na Praça da Misericórdia (atual Praça Rui Barbosa). A tubulação, que ligava essa fonte ao chafariz, era de cobre.

1877: realizados os primeiros estudos para a implantação do primeiro sistema de abastecimento de água de Curitiba. O projeto do engenheiro Gottleb Wieland previa a captação de água no Tanque do Taborda, a 5 quilômetros de distância do Largo da Matriz. As obras, nunca foram realizadas.

28 de março de 1879: lavrado o primeiro contrato visando a execução dos estudos e respectivo projeto para o abastecimento de água de Curitiba. O contrato foi assinado entre o Governo da Província e o engenheiro Joaquim Rodrigues Antunes. As obras não foram realizadas face ao elevado custo das mesmas.

1885: o governador da Província, Carlos Augusto de Carvalho, decidiu que os serviços de água e esgoto passariam para a jurisdição do município. A Câmara Municipal. no dia seis de abril desse ano, representada pelo presidente da casa, Emygdio Westphalen, assinou contrato com  engenheiro Fernando Mattos, objetivando a execução das obras “necessárias para derivar ou derivar as águas do rio Barigui, ou de seus efluentes e distribuir pela cidade de Curitiba a quantidade de água necessária para o abastecimento” da população. As obras nunca foram realizadas.

22 de setembro de 1899: o prefeito da cidade, Cícero Gonçalves Marques, lança o primeiro edital de “concurrência” para a realização das obras do sistema de abastecimento de água de Curitiba. O projeto previa a captação nos rios Campinha e Queimados, no município de Deodoro (atual município de Piraquara). O projeto nunca foi levado adiante.

02 de abril de 1903: o presidente do Estado, Francisco Xavier da Silva, sanciona o Projecto nº 39, de autoria do deputado congressista Vicente Machado da Silva Lima, autorizando o governo “a contractar pelo meio que julgar mais conveniente, o serviço de abastecimento d’água e de exgottos na cidade de Curityba”, podendo para isso despender até a quantia de 6.000:000$000 (seis mil contos de réis).

13 de abril de 1904: celebrado contrato entre o Governo do Estado e os engenheiros Álvaro de Menezes e Octaviano Augusto Machado de Oliveira para a construção do que viriam a ser o primeiro sistema de abastecimento de água e o primeiro sistema de esgoto sanitário de Curitiba. O projeto contemplava a construção do primeiro reservatório de água potável do Paraná, do Alto São Francisco.

25 de abril de 1904: instalados oficialmente os trabalhos da Companhia de Melhoramentos de São Paulo, empresa criada para a execução das obras. O lançamento festivo da pedra fundamental foi realizada no local “destinado à installação bacteriana de exgottos, contíguo à fábrica de fósforos”, atual sede administrativa da Sanepar. 24 de agosto de 1908: inaugurado oficialmente o Reservatório do Alto São Francisco e, consequentemente, o primeiro sistema público de água do Paraná. O sistema contava com 34.838 metros de rede e 28 torneiras públicas.

20 de setembro de 1904: lançada a pedra fundamental do Reservatório do Alto São Francisco.

Dezembro de 1908: entra em operação o primeiro sistema de coleta, remoção e tratamento de esgotos. O esgoto era coletado através de 50.000 metros de rede. O mesmo era removido para as “instalações bacterianas” da Rua Engenheiros Rebouças, onde passava por um processo de tratamento primário, através de digestores.

1917: é registrada a ocorrência de uma epidemia de doenças de veiculação hídrica: febre tifóide e infecções paratíficas.

2 de janeiro de 1917: Governo do Estado decreta a encampação da Empreza de Melhoramentos do Paraná, que sucedeu a Companhia de Melhoramentos de São Paulo na exploração dos serviços de água e esgoto de Curitiba.

12 de janeiro de 1917: pelo Decreto nº 22, é criada a Secção de Água e Esgotos de Curitiba.

1919: o Governo do Estado contrata o engenheiro Francisco Saturnino de Britto, o “Pai da Engenharia Sanitária do Brasil”, para a elaboração de um novo sistema de abastecimento de água e de esgoto de Curitiba.

24 de março de 1924: Sancionada a Lei 2.257, que cria a “Directoria do Serviço de Água e Esgotos”.

29 de fevereiro de 1928: Decreto Estadual nº 28 cria o Departamento de Água e Esgotos DAE.

5 de dezembro de 1934: tem início a interiorização dos serviços de água e esgoto. As primeiras Secções dos Serviços de Água e Esgotos a serem criadas, por Decretos, foram as de Ponta Grossa, em 1934, Jacarezinho, em 1938, Cambará, em 1941, Irati e Morretes, em 1942.

1945: entram em operação as duas primeiras estações de tratamento de água, ambas projetadas e construídas no governo do Interventor Manoel Ribas: as ETAs Tarumã, em Curitiba, e de Castro.

23 de janeiro de 1963: Sancionada Lei Estadual 4.684, autorizando o Poder Executivo a constituir uma sociedade por ações, com a denominação social de Companhia de Água e Esgotos do Paraná, AGEPAR, objetivando a promoção do saneamento básico do Estado.

30 de dezembro de 1963: é lavrada a escritura pública de constituição da AGEPAR e seus estatutos sociais, data considerada, juridicamente, como de fundação da Empresa.

19 de junho de 1964: a Lei 4.878 altera o nome da Companhia de Água e Esgotos do Paraná, AGEPAR, para Companhia de Saneamento do Paraná, SANEPAR.

26 de março de 1969: proposto por uma comissão especial para estudar o reforço do abastecimento de água, entra em operação o Sistema Iguaçu. Nesse dia, o governador Paulo Pimentel e o presidente da República, Costa e Silva, inauguraram a ETA Iguaçu, que tinha capacidade inicial para tratar 1.000 litros de água por segundo.

30 de dezembro de 1971: Sancionado o Decreto 1.194 incorporando o DAE à Sanepar. Pelo Decreto, a Sanepar passou a incumbir-se da exploração, manutenção e operação dos sistemas de abastecimento de água e de coleta de esgoto nas cidades de Cambará, Campo Mourão, Castro, Cornélio Procópio, Curitiba, Foz do Iguaçu, Irati, Lapa, Palmeira, Pirai do Sul, Piraquara, Rio Negro, Santo Antônio da Platina, São José dos Pinhais e Siqueira Campos

8 de março de 1979: Inaugurada a primeira grande barragem de acumulação de água para abastecimento público do Paraná. A Barragem Piraquara, no Rio Cayuguava, Região Metropolitana de Curitiba, com capacidade para 23 bilhões de litros de água, tem uma dupla finalidade: armazenar água bruta, disponibilizando mais matéria-prima para enfrentar períodos de estiagem, e regular a vazão do Rio Iguaçu.

1965: entra em operação a primeira Estação de Tratamento de Esgoto do Paraná: a ETA Bom Retiro, de Londrina. A unidade é do tipo de lodos ativados, sistema misto aeróbio/anaeróbio.

29 de fevereiro de 1980: entra em operação a primeira grande estação de tratamento de esgotos de Curitiba, a ETE-Belém, que utiliza o processo desenvolvido na Holanda, conhecido como “aeração prolongada por fluxo orbital”, ou “circuito Carroussel”. Até então, o esgoto coletado era lançado, sem tratamento, no Rio Belém, que recebia uma carga poluidora de 15 toneladas de DBO/dia.

1995:  Um novo modelo de gestão passou a ser planejado pela diretoria, fixando uma filosofia de gestão de valor. Esse modelo foi implantado em janeiro de 1998 e trouxe ganhos de eficiência, rentabilidade, profissionalização e competitividade para a Sanepar.

16 de março de 2000: A SANEPAR passa a  negociar suas ações no mercado eletrônico de ativos, através da Sociedade Operadora do Mercado de Ativos S.A., SOMA.